10 dramas emocionantes para completar a sua videoteca

Distribuidora cearense que aposta basicamente em filmes clássicos e musicais, a Classicline tem em seu acervo muitas pérolas do cinema. Mas além disso, vasculhando seu catálogo, é possível listar vários filmes essenciais em qualquer videoteca.

A lista da vez é uma seleção de dramas, produzidos entre 1998 e 1962, incluindo muitas interpretações vencedoras de Oscar (Robert Duvall, Richard Dreyfuss, Vanessa Redgrave, Jason Robards, Anne Bancroft e Patty Duke), sucessos da época do VHS nas locadoras e até a estreia de uma atriz consagrada como diretora.

Deuses e Monstros (Gods and Monsters, 1998): Em 1957, James Whale (Ian McKellen), diretor que fez sucesso nos anos 30 com clássicos de terror, se recupera de um derrame. Aposentado, o cineasta se ocupa com a pintura e conta apenas com os cuidados de sua dedicada empregada, Hanna (Lynn Redgrave). Contudo, um novo jardineiro, Clayton Boone (Brendan Fraser), desperta seu desejo, mesmo com suas diferenças culturais.

A Cura (The Cure, 1995): Erik (Brad Renfro) é um garoto saudável e solitário que atravessa todas as barreiras que o preconceito ergueu e se torna amigo do seu vizinho Dexter (Joseph Mazzello), que tem AIDS. Quando os dois garotos sabem que um médico de Nova Orleans descobriu a cura da AIDS, embarcam numa jornada cheia de perigos e descobertas para tentar chegar até ele.

Mentes que Brilham (Little Man Tate, 1991): Fred Tate (Adam Hann-Byrd) é um gênio precoce aos sete anos. Dede Tate (Jodie Foster), sua mãe, é solteira e trabalha como garçonete em um restaurante chinês. Com pouca educação formal, Dede procura por uma instituição especial para crianças superdotadas, dirigida pela Dra. Jane Grierson (Dianne Wiest). Drama marca a estreia na direção de Jodie Foster.

Um Golpe do Destino (The Doctor, 1991): Jack McKee (William Hurt) é um médico de sucesso, rico e arrogante. Até o dia em que descobre ter um câncer na garganta, o que o leva a uma reflexão profunda sobre sua vida.

Stanley & Iris (Idem, 1989): Stanley Cox (Robert De Niro) é um tímido empregado analfabeto que faz de tudo para esconder sua falta de conhecimento. Iris King (Jane Fonda) é uma mulher batalhadora que perdeu o marido a menos de um ano e trabalha para cuidar de seus dois filhos. Juntos, um ajudará o outro a superar seus medos e dificuldades da vida.

Nuts – Querem me Enlouquecer (Nuts, 1987): Claudia Draper (Barbra Streisand) é uma prostituta de luxo que mata Allen Green (Leslie Nielsen), um “cliente”, para se defender. Para evitar um escândalo no tribunal, seu advogado de defesa (Richard Dreyfuss) alega insanidade, com o apoio da família dela, pois acreditam que só assim ela terá chance de escapar da condenação.

A Força do Carinho (Tender Mercies, 1983): Mac Sledge (Robert Duvall, Oscar de melhor ator) é um cantor de músicas country que guarda amargas recordações de sua vida. Com sua carreira em declínio, ele se entrega de vez à bebida, até que, num hotel do Texas, conhece Rosa Lee (Tess Harper), uma viúva com um filho de 10 anos. Drama romântico venceu também o a estatueta de roteiro original.

A Garota do Adeus (The Goodbye Girl, 1977): Paula McFadden (Marsha Mason) é uma ex-dançarina, que vive com sua filha Lucy (Quinn Cummings). Abandonada pelo namorado, Paula tem de conviver com Elliot Garfield (Richard Dreyfuss, Oscar de melhor ator), que sublocou o apartamento. Porém as excentricidades de Elliot e o mau humor constante de Paula são uma ameaça à boa convivência entre eles.

Júlia (Idem, 1977): Nos anos 30, duas amigas de infância trilham caminhos diferentes: a rica e idealista Julia (Vanessa Redgrave, Oscar de atriz coadjuvante) vai estudar em Viena e a outra, Lillian Hellman (Jane Fonda), se torna escritora com a ajuda de Dashiell Hammett (Jason Robards, Oscar de melhor ator). Quando Lillian alcança fama e é convidada para ir a União Soviética, Julia, que vive na Europa, lhe pede que contrabandeie dinheiro através da Alemanha para ajudar as vítimas do nazismo. Filme venceu também o Oscar de roteiro adaptado.

O Milagre de Anna Sullivan (The Miracle Worker, 1962): presa em um assustador, solitário mundo de silêncio e escuridão desde a infância, a garota de sete anos Helen Keller (Patty Duke, Oscar de coadjuvante) nunca chegou a ver o céu, escutar a voz de sua mãe, ou mesmo expressar seus mais profundos sentimentos. É então que chega Anna Sullivan (Anne Bancroft, Oscar de atriz), uma professora de 20 anos, para guiar a sua corajosa pupila numa milagrosa jornada de medo e isolação para a felicidade e a luz.