Após “Os 13 Porquês/13 Reasons Why”, o suicídio não é uma opção

Por Davi Nogueira*

“O SUICÍDIO NÃO É UMA OPÇÃO”.

A frase estampa um dos diversos cartazes colados nas paredes de uma escola. Um dos alunos comenta com o colega: “Bom, claramente o suicídio é sim uma opção”. O diálogo é fictício e se dá na série de televisão “13 Reasons Why” ou “Os 13 Porquês” (2017), mas poderia ser tirado diretamente da vida real.

O drama, exibido (e produzido) corajosamente pelo canal de streaming Netflix, é um verdadeiro soco no estômago. A trama se passa dias após uma adolescente – Hannah (Katherine Langford) – cometer o suicídio.

Os motivos do ato de extremo desespero são explicados pela própria vítima, gravados em fitas cassetes e deixados para colegas de escola. Eles descobrem então que os treze motivos são eles próprios, ou pelo menos, o modo como a trataram. Quem nos guia pela narrativa é o fechado Clay Jensen (Dylan Minnette), que aos poucos vai descobrindo o que aconteceu com a sua amigo e colega de classe.

Livro

“13 Reasons Why” é baseado no livro homônimo de Jay Asher, e toca em questões delicadas como bullying, estupro, preconceito e assédio, retratando as mesmas de uma forma explícita, crua e impactante, porém com uma delicadeza ímpar, que emociona e toca o espectador de forma irreversível. Através de uma narrativa não linear e uma edição extraordinária a produção consegue ainda imprimir certo suspense à trama e, mesmo sabendo do derradeiro fim de sua protagonista, acabamos nos apaixonando e torcendo por ela. Dentre as muitas conclusões que chegamos ao final da serie é que a questão definitivamente precisa receber maior atenção e, principalmente, fica a mensagem que devemos cuidar mais uns dos outros. #NaoSejaUmPorque

Dados alarmantes

O assunto ainda é algo de difícil abordagem na sociedade e pouco levantado na mídia como um todo. Por mais doloroso que seja é uma realidade. Segundo dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos. Ainda de acordo com a agência, 800 mil pessoas tiram a própria vida, todos os anos, no mundo. No Brasil, uma pessoa comete suicídio a cada 45 minutos.

*Davi Nogueira é publicitário, redator e cinéfilo.