Daniel Day-Lewis se despede do cinema no trágico e hipnotizante “Trama Fantama”

TRAMA FANTASMA (2017), do diretor e roteirista Paul Tomas Anderson

Romance dramático com 6 indicações ao Oscar 2018 (incluindo melhor filme, diretor e ator), TRAMA FANTASMA (2017), do diretor e roteirista Paul Tomas Anderson, já está disponível nas lojas do Brasil, em DVD. E merece ir direto para a sua prateleira, não sem antes que seja revisto com todo prazer e angústia que lhe é peculiar.

Um clima de tragédia rege a obra hipnotizante que marca a nova parceria entre o diretor Paul Thomas Anderson e o ator Daniel Day-Lewis, ganhador do Oscar por suas atuações em “Meu Pé Esquerdo”, “Sangue Negro” e “Lincoln”. Após o lançamento, Day-Lewis declarou que a obra será a sua última atuação no cinema.

Trama Fantasma é ambientada na Londres dos anos 1950, a produção resgata o glamour e a alta costura da época. Daniel Day-Lewis dá vida à Reynolds Woodcock, um estilista confiante e focado que tira inspiração das mulheres que, constantemente, entram e saem de sua vida. Ao seu lado, sua irmã Cyril (Lesley Manville), vestindo gente da realeza, astros do cinema, herdeiras, a elite da sociedade, debutantes e damas com o estilo distinto da Casa de Woodcock. Mas Woodcock vê sua trama perder o rumo quando se envolve com Alma (Vicky Krieps), uma jovem forte que logo se torna um acessório necessário para sua vida e carreira, como musa e amante.

Trama Fantasma (Phantom Thread, EUA, 2017) | Diretor: Paul Thomas Anderson | Elenco: Vicky Krieps, Daniel Day-Lewis e Lesley Manville | DVD Colorido (Preço Sugerido: R$ 39,90) | Gênero: Drama/Romance | Duração: 130 minutos | Formato de Tela: Widescreen 1.85:1 Anamórfico | Áudio: INGLÊS (DD 5.1), ESPANHOL (DD 5.1), PORTUGUÊS (DD 5.1) | Legenda: INGLÊS (SDH), ESPANHOL, PORTUGUÊS | Classificação Indicativa: 12 anos | Extras: Testes de Câmera; Para o Garoto Faminto; Desfile de Moda na Casa Woodcock; Fotografias dos Bastidores

Sinopse: Década de 1950. Reynolds Woodcock (Daniel Day-Lewis) é um renomado e confiante estilista que trabalha ao lado da irmã, Cyril (Lesley Manville), para vestir grandes nomes da realeza e da elite britânica. Sua inspiração surge através das mulheres que constantemente entram e saem de sua vida. Mas tudo muda quando ele conhece a forte e inteligente Alma (Vicky Krieps), que vira sua musa e amante.

Opinião do editor

Paul Thomas Anderson rege seu drama romântico como uma ópera trágica e hipnotizante. Cheios de planos detalhes, sua câmera tem o auxílio da fotografia, com algo meio cinza, embassado no amor, mas claro e cristalino na mítica arte da feitura dos seus vestidos (e que figurinos, hein!?), e soturno quando há rompantes venenosos em cena.

Contudo, o clima fica mesmo completo com a trilha sonora de Jonny Greenwood, em um claro tom de suspense no ar. Em uma aula de Cinema, sua obra lembra a todos nós que o cinema também é lugar de contar histórias de pessoas reais, com medos, angústias, desejos e amores reais. Uma obra tão elegante quanto seus figurinos, capaz de fazer uma boa e solene reflexão da vida. Será que conseguimos ser felizes quando temos tudo? Dinheiro, roupas, carro de luxo… (Clique aqui para ler a crítica completa).