Gaby Amarantos estreia no cinema como protagonista em “Serial Kelly”

E já começam as filmagens de SERIAL KELLY, uma comédia pulp de humor negro, subversiva e questionadora, estrelada por Gaby Amarantos, que faz sua estreia como protagonista no cinema.

O longa acompanha a trajetória de Kelly, uma artista em busca de reconhecimento, com uma intuição criativa muito aguçada, mas que sofre pela ausência de oportunidades em sua carreira. Conforme ela cumpre sua agenda de shows pelo sertão, a cantora de forró eletrônico também vai deixando um rastro de sangue pelo caminho.

Quando passa a ser investigada pelos assassinatos de três homens, sua turnê mambembe também se transforma numa estratégia de fuga. E de estrela ascendente ela se torna uma heroína marginal, a temida e procurada SERIAL KELLY, a primeira serial killer mulher do Brasil.

SERIAL KELLY será todo rodado em Alagoas e a primeira cidade a receber a equipe será Maceió. A escolha pela região não foi aleatória. Em um local onde ainda existe “fazer justiça com as próprias mãos” e o machismo é arraigado, ter uma mulher serial killer como anti-heroína vai ao encontro das transformações pelas quais a região tem passado nos últimos anos, com um enorme crescimento econômico e empoderamento das mulheres e das classes populares.

Este é o primeiro trabalho na direção de René Guerra (que também assina o roteiro junto com Marcelo Caetano, diretor e roteirista de “Corpo Elétrico”), que estreou no cinema com o curta-metragem em 35mm “Os Sapatos de Aristeu”, em 2008. A produção foi um dos filmes nacionais mais premiados daquele ano, com 37 prêmios nacionais e internacionais e ganhador do Grande Prêmio do Canal Brasil 2008. Com o roteiro deste filme, foi selecionado para o Berlinale Talent Campus e desde então desenvolve projetos de ficção e de documentário sobre personagens considerados marginais. Recentemente, René apresentou no Kinoforum e foi premiado por seu mais recente curta metragem, “Vaca Profana”.

A grande estrela do longa é a cantora Gaby Amarantos, que dá vida à Kelly. Além dela, o elenco é encabeçado por uma grande diversidade de atores, apontando para todos os tipos de gênero e fugindo do padrão de beleza convencional, não binário e cheio de glamour, com artistas que representam todas as classes populares.

Produzido pela Bananeira Filmes, de Vania Catani, SERIAL KELLY será distribuído no Brasil pela Vitrine Filmes, e tem previsão de estrear nos cinemas do Brasil em 2018.

SOBRE O DIRETOR

Alagoano radicado em São Paulo, René Guerra filmou seu primeiro curta-metragem em 35mm, “Os Sapatos de Aristeu” em 2008. Em 2009 estreou o seu curta-metragem “CASA” no Festival de Berlim, Berlinale 2010, fazendo parte da coletânea Fucking Different São Paulo. Em 2012, dirigiu o curta documental “Quem Tem Medo de Cris Negão?” e em 2013, o curta de ficção “O Olho e o Zarolho” ambos Preta Portê Filmes.

É preparador de elenco de diretores como Anna Muylaert, Gabriela Amaral Almeida, João Paulo Cuenca, entre outros. Como roteirista escreveu três longas, “Lili e as Libélulas” (Preta Portê Filmes), “Quieta” (Filmes de Abril) e “Serial Kelly” (Bananeira Filmes).

Em televisão, trabalhou como diretor de imagem da série “Identidade Cultural” (SEBRAE – Alagoas, 2005) , como roteirista da série “Tudo o Que é Sólido Pode Derreter” (TV Cultura, 2009) e como diretor da série “Retratos Brasileiros : Berta Zemel” (Canal Brasil 2011). Em 2016 dirigiu o telefilme “Guigo Offline”, a ser exibido na TV Cultura.