Já estamos de olho no Festival Varilux de Cinema Francês 2018

O Festival Varilux de Cinema Francês está de volta! Esta edição levará ao público de todo o Brasil uma seleção com 20 filmes da cinematografia recente francesa. Portanto a maratona de filmes franceses já tem data para começar. De 7 a 20 de junho, cerca de 60 cidades brasileiras recebem o Festival do Cinema Francês em 2018. Consolidada como uma das principais do evento, ficando com o 6º melhor público na edição de 2017, Fortaleza terá inclusive mais uma vez uma premiere para convidados, no dia 6 de junho.

O evento, que no ano passado conquistou o ranking de maior festival francês do mundo, levou 180 mil pessoas aos cinemas apontando um crescimento de 15% em relação ao ano anterior. Além dos longas-metragens da nova safra da cinematografia francesa, há também um clássico que será divulgado em breve, mas o filme de abertura do festival será o premiado “O Orgulho” (Le Brio, 2017).

Destaques

Entre os destaques, está o badalado longa “O Amante Duplo”, último longa de François Ozon. O suspense erótico traz Marine Vacth e Jérémie Rénier nos papéis principais, casal que serviu de inspiração para o cartaz oficial do Festival Varilux 2018. O drama conta a jornada de Chloé (Marine Vacth), uma jovem frágil que se apaixona por seu psicoterapeuta. Após alguns meses o casal vai morar junto, porém ela descobre que seu amante lhe escondeu outro lado de sua identidade. O longa inspirou, ainda, a arte visual do cartaz do festival e foi exibido no Festival de Cannes ano passado.

Jérémie Rénier virá ao Brasil com seu irmão, Yannick Rénier e a atriz Zita Hanrot. A dupla de diretores apresentará o drama “Carnívoras”, protagonizado por Zita, vencedora do César de Melhor Atriz Revelação em 2016, por “Fátima”.

A comédia fica por conta do longa “De Carona para o Amor”. O ator Franck Dubosc, também diretor do filme, é Jocelyn. O bem-sucedido homem de negócios, é um sedutor e mentiroso inveterado. Apesar de cansado de si mesmo, acaba seduzindo uma jovem bonita, fingindo ser deficiente, até o dia em que ela lhe apresenta sua irmã, que é realmente deficiente. No mesmo estilo, temos o leve “50 São os Novos 30”, de Valérie Lemercier. No longa, Marie-Francine (Valérie Lemercier) está na crise dos 50 anos. Acabou de ser demitida, foi abandonada pelo marido e foi obrigada a voltar a viver com os pais e a trabalhar numa loja de cigarros eletrônicos. Tudo parece perdido até que ela conhece Miguel (Patrick Timsit), um cozinheiro que vai mexer com o seu coração. Dirigido e protagonizado por Valérie Lemercier, o filme traz o desenrolar desse romance, que leva a personagem principal de volta a sua adolescência.  

O público terá a oportunidade de assistir aos mais novos trabalhos de cineastas, astros e estrelas já consagrados e também de premiados jovens talentos que imprimem diversidade e originalidade ao cinema francês. Entre as produções, destacam-se três filmes da nova geração francesa de cineastas, designada várias vezes pela crítica de “nouvelle guarde”: “Custódia” (Jusqu’à la garde), de Xavier Legrand, que acompanha a disputa entre um casal pela guarda do filho. O longa foi vencedor do Prêmio de Melhor Direção e Melhor Primeiro Filme no Festival de Veneza. “A Excêntrica Família de Gaspard” (Gaspard va au marriage), de Antony Cordier, comédia maluca e melancólica sobre o adeus à infância, desejo e tempo. “Diane” (Diane a les épaules), de Fabien Gorgeart, em que uma mulher concorda em gerar o filho de um casal de amigos homossexuais, abordando com humor e ternura a temática dos novos modelos familiares.

Também obras de jovens cineastas, dois filmes de gênero pouco comuns na França tem como cenário uma Paris pós-cataclismo. Ao mesmo tempo uma sátira social e um filme de zumbis, a longa de Dominique Rocher “A Noite Devorou o Mundo” (La nuit a dévoré le monde) mostra a cidade invadida pelas criaturas, com um único ser humano tentando sobreviver. Sam (Anders Danielsen Lie) se levanta de manhã em seu apartamento no qual abrigava uma festa no dia anterior, mas se dá conta que as ruas de Paris está coberta de mortos-vivos. Mas será que ele é mesmo o único sobrevivente?

Na mesma veia, “O Último Suspiro” (Dans la brume), do quebequense Daniel Roby, mostra uma família tentando se salvar após uma contaminação química, com Romain Duris no papel principal. No dia em que uma névoa estranha e mortal submerge em Paris, os sobreviventes encontram refúgio nos andares superiores dos edifícios e nos telhados da capital. Sem informação, sem eletricidade, sem água ou comida, uma pequena família tenta sobreviver a esse desastre. Mas as horas passam e uma coisa é clara: a ajuda não virá e será necessário tentar a sorte na névoa.

Casablanca é palco de distintas trajetórias em “Primavera em Casablanca”, do cineasta Nabil Ayouch. Entre o passado e o presente, cinco destinos estão inconscientemente interligados. Diferentes rostos, diferentes lutas, mas a mesma busca pela liberdade. E o som de uma revolta que cresce. O filme é estrelado por Maryam Touzani, Arieh Worthalter, Abdelilah Rachid.

 

Noite francesa na premiere

Com o oferecimento da Aliança Francesa Fortaleza, a Capital cearense recebe uma exclusiva premiere para convidades, em uma verdadeira noite francesa, antes da exibição do filme “O Orgulho” (Le Brio, 2017). Convidades ilustres, alunos e professores serão recebidos com o melhor da gastonomia francesa, e brindará a noite com espumante francês.

Marcado para uma quarta-feira (6 de junho), evento começará às 19 horas e contará também com o apoio do Consulado Honorário da França em Fortaleza, representado pela cônsul honorária, Fernanda Jensen.

Apoiadora institucional do festival, a Aliança Francesa organiza as sessões educativas e as sessões de democratização, que abrem os filmes do festival a um público cada ano mais amplo. Nas redes sociais da escola de língua da capital cearense há sorteio de ingressos para as sessões regulares. Confira detalhes do filme que abre o festival em 2018.

O Orgulho | Título original: Le brio | França, 2017 | Direção: Yvan Attal | Comédia/Drama | 95 mminutos | Com: Daniel Auteuil, Camélia Jordana, Yasin Houicha | Distribuição no Brasil: Pandora Filmes | Indicado ao prêmio César de melhor filme do ano, melhor ator (Daniel Auteuil) e Revelação (Camélia Jordana, vencedora do prêmio).

Sinopse: Neila Salah (Camélia Jordana , prêmio César 2018 de Melhor Atriz Revelação) cresceu na periferia e sonha em se tornar advogada. Inscrita na grande universidade parisiense de Assas, ela confronta, desde o primeiro dia, Pierre Mazard (Daniel Auteuil), professor conhecido por suas provocações e deslizes. Para se desculpar por sua conduta desrespeitosa, Pierre aceita preparar Neila para o prestigioso concurso de eloquência. Cínico e exigente, Pierre pode se tornar o mentor que Neila precisa… Mas é necessário que ambos superem seus preconceitos.

Delegação artística e outras atividades

A delegação artística estará presente este ano em Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro, entre os dias 4 e 9 de Junho. Além da exibição dos filmes, as atividades paralelas contemplam:

– Debates com os integrantes da delegação (atores e cineastas)

– Ações e sessões educativas

– Laboratório franco-brasileiro de roteiros, sob a coordenação de François Sauvagnargues, especialista de ficção e ex-diretor geral do FIPA, o Festival Internacional de Programação Audiovisual (Biarritz, França).

Produzido pela Bonfilm, o evento tem patrocínio principal da Varilux/Essilor, Ministério da Cultura por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. O evento tem apoio institucional da Aliança Francesa no  Brasil.