“O Shaolin do Sertão” chega a 55.000 espectadores somente nos cinemas do Ceará

O raio pode não só cair, mas aumentar o impacto da segunda vez. Foi assim nos primeiros seis dias de “O Shaolin do Sertão”, segundo longa dirigido pelo cineasta Halder Gomes. Da pré-estreia, no último dia 12, até a segunda (17), o filme levou aproximadamente 55.000 espectadores aos cinemas cearenses, número que corresponde a 50% do público do Estado que assistiu a longas metragens no período e melhor média de público e renda do país.

Com o primeiro lugar nas vinte salas de cinema cearenses em que é exibido, “O Shaolin do Sertão” ocupa o sétimo lugar no ranking de público do país. Na segunda (17), mais de 12 espectadores assistiram ao filme. O longa metragem cearense vence, no Estado, o líder nacional do ranking, “Inferno”, que traz Tom Hanks como protagonista. O “Shaolin do Sertão” leva 10 vezes mais público que o filme baseado na obra de Dan Brown. A estreia de “O Shaolin do Sertão” bate inclusive a de “Cine Holliúdy”, com quase o dobro de público.

> Clique aqui para ler a crítica de Shaolin do Sertão

A estréia nacional acontece na próxima quinta (20), trazendo de volta o senso de humor cearense inserido num resgate histórico dos desafios de vale-tudo no interior do Ceará. Ambientado em Quixadá nos anos 1980, o longa metragem conta a história de Aluízio Li – Liduíno (Edmilson Filho), um aficionado por artes marciais que vive com a cabeça no mundo das lutas de tanto sonhar e assistir a filmes chineses. Motivo de chacotas em sua cidade natal, Aluízio Li terá uma grande desafio pela frente quando o lutador aposentado de vale-tudo Toni Tora Pleura (Fábio Goulart) anuncia um “tour” de desafios aos valentões de várias cidades do interior do Ceará, incluindo Quixadá. Dirigido pelo cineasta Halder Gomes, o mesmo de Cine Holliúdy, “O Shaolin do Sertão” traz frescor e originalidade pra repetir o sucesso através da comédia de ação e aventura em pleno sertão cearense.

O elenco conta com nomes como Dedé Santana, Edmilson Filho, Fafy Siqueira, Marcos Veras, Tirulipa, Falcão, Bruna Hamú, Igor Jansen, Frank Menezes, Karla Kareninna, Haroldo Guimarães, Fábio Goulart, Lailtinho Brega, dentre outros talentos locais.

“O Shaolin do Sertão é o filme que eu tinha muita vontade de fazer. O momento do filme é a onda do VHS, que revelou novos talentos e gêneros em produções de artes marciais. Tinha muita vontade de retratar daí pra frente outro universo: o momento em que os lutadores profissionais de vale-tudo iam pro interior do Ceará e desafiavam os valentões da cidade, inserindo neste contexto o mundo ilusório, lúdico e fantástico da cabeça dos aficcionados por filmes de luta. Estes eventos mexiam com os brios dos homens das cidades desafiadas. Acabava virando um grande entretenimento do lugar”, explica Halder Gomes.

Usando suas habilidades no Taekwondo, no qual é mestre 5º grau, Edmilson Filho agora dá vida a Aluízio Li. “É um personagem inocente, sempre sonhando com grandes batalhas em um universo paralelo. Para interpretá-lo, assisti produções de Hong Kong e filmes chineses de Kung Fu. Apesar de ter a facilidade por ter sido atleta de taekwondo, o Kung Fu é um estilo completamente diferente. A parte mais sacrificante foi a nutricional, pois tive de perder 15 quilos. Acho que não vou fazer nenhum filme mais parecido comigo do que esse, pela minha história como atleta e aficionado por artes marciais. Eu me identifico muito com Aluízio em relação a esse sonho de ser um grande lutador. É um pouco de mim que está no personagem”, destaca.