Relembre 15 dos casais mais românticos do cinema

[tribuna-veja-tambem id=”8173″ align=”alignleft”]A Bela e a Fera (La belle et la bête, 2014)
Bela (Léa Seydoux) e a Fera (Vicent Cassel). A fábula ganha vida com atores em carne e osso, uma abordagem clássica, efeitos grandiosos e um amor que transpassa a questão animal e humano.

Como Se Fosse a Primeira Vez (50 First Dates, 2004)
Lucy Whitmore (Drew Barrymore) e Henry Roth (Adam Sandler) são apaixonados. Mas Lucy tem uma doença que só lembra do que aconteceu durante um dia. E por isso, seu amor, Henry, a tenta conquistar todo dia.

Diário de uma Paixão (The Notebook, 2004)
Dentro de uma casa de repouso para idosos, Duke (James Garner) relembra a Allie (Gena Rowlands) a paixão que virou amor entre um casal (Ryan Gosling e Rachel McAdams) nos anos 50. Ao final da história, você consegue segurar o choro?

Orgulho e Preconceito (Pride & Prejudice, 2005)
Elizabeth Bannet (Keira Knigtley) & Mr. Darcy (Matthew Macfayden) passam o filme inteiro se espetando, mas ni fundo a admiração é mútua, e o amor, não tarda a chegar. Adaptação do romance clássico de Jane Austen.

10 Coisas que Eu Odeio em Você (10 Things I Hate About You, 1999)
O que começou como uma brincadeira/aposta, se transformou em amor de verdade. A todo custo, o durão do colégio Patrick Verona (Heath Ledger) tenta seduzir a difícil Katharina (Julia Stiles). Atualização livre da peça “A Megera Domada” (de Shakespeare), a comédia romântica traz a cena clássica de Verona cantando “I Can´t Take My Eyes of You”, no meio do estádio de futebol.

Titanic (Titanic, 1997)
Rose (Kate Winslet) e Jack (Leonard DiCaprio) se encontram no Titanic, dançam no porão, jantam entre os esnobes, brincam de “Rei do Mundo”, fazem amor em um carro no depósito e se amam até a morte. Literalmente. Vencedor do Oscar de melhor filme.

Antes do Amanhecer (Before Sunrise, 1995)
Jesse (Ethan Hawke) e Celine (Julie Delpy) tem um encontro tão casual, dentro de um trem na Europa, que seu amor/dia juntos se torna algo mais puro possível. E vira o começo de uma linda e real história de amor.

Meu Primeiro Amor (My Girl, 1991)
Vada Sultenfuss (Anna Chlumsky), uma garota de 11 anos, é obcecada com a morte, pois sua mãe morreu e seu pai, Harry Sultenfuss (Dan Aykroyd), é um agente funerário que não lhe dá a devida atenção. Paralelamente é muito amiga de Thomas J. Sennett (Macaulay Culkin), um garoto que é alérgico a tudo. A união dos dois jovens gera algo não sabiam que existia entre eles: o primeiro amor. Cena Clássica, o primeiro beijo.

Ghost – Do Outro Lado da Vida (Ghost, 1990)
Sam Wheat (Patrick Swayze) e Molly Jensen (Demi Moore) formam um casal muito apaixonado que tem suas vidas destruídas, após Sam ser assassinado. Mas, seu amor o sustenta entre a vida e a morte, e ao se comunicar através de uma medium (Whoppi Goldberg), tenta deixar o coração de sua amada em paz. Cena clássica: ao som de “unchained melody”, o casal tenta fazer uma peça de barro e acaba se amando.

Harry & Sally: Feitos um para o Outro (When Harry Met Sally, 1989)
Harry (Billy Cristal) conheceu Salley (Meg Ryan) por acaso, em uma viagem de carona em que os dois rachariam a gasolina. Com o passar dos anos, os dois se reencontram, e transforam a aproximação em amizade. Mas depois de uma noite de ano novo, tudo pode mudar. Cena clássica: um orgasmo feminino em um salão de uma cafeteria.

Dirty Dancing – Ritmo Quente (Dirty Dancing, 1987)
Em um resort familiar, em 1963, Baby (Jennifer Grey) e o instrutor de dança Johnny Castle (Patrick Swayze), se apaixonam. Cena clássica: a coreografia final ao som da canção vencedora do Oscar “I’ve had (the time of my life)”.

Romeu e Julieta (Romeo and Juliet, 1968)
Romeu (Leonard Whiting) e Julieta (Olivia Hussey) são tão apaixonado, que nem o ódio entre suas famílias é capaz de impedir seu amor, na vida ou na morte (trágica). Baseado na obra de Shakespeare.

A Dama e o Vagabundo (Lady and the Tramp, 1955)
Os cachorrinhos apaixonados são, a Dama e o Vagabundo, estrelas de uma das cenas mais copiadas do cinema, onde eles dividem um prato de macarrão e acabam se beijando.

A Um Passo da Eternidade (From Here to Eternity, 1953)
Em 1941, Robert E. Lee Prewitt (Montgomery Cliff) pede transferência do exército e vai parar na base militar de Schofield, no Havaí, e se apaixona por uma prostituta. O pano de fundo é o ataque japonês a Pearl Harbor, e a cena clássica é um beijo apaixonado nas praias do Havaí.


Rhett Butler (Clark Gable) diz para Scarlett O’Hara (Vivian Leigh) “Frankly, my dear, I don’t give a damn” (“Francamente, minha querida, não estou nem aí”). Apesar da frase clássica – e considerada a mais famosa do cinema em todos os tempos pelo American Film Institute (AFI) – ser um tremendo fora, o casal vive um dos maiores romances da história.